A minha história com a fotografia começou, de fato, no final de 2014, quando eu e o meu namorado, Vinícius, resolvemos fazer disso um “hobbie rentável”, digamos assim. Para variar, começamos despretensiosamente, fotografando os bebês da família. Logo depois, resolvemos oficializar o Bazan & Baldim Fotografia. Hoje contamos com ensaios de vários tipos, batizados, festas infantis e até um casamento no nosso portfolio.

Fotografia de produtos é uma coisa que ainda incomoda muita gente que tem um negócio online. Todos concordamos que ela deva ser interessante a ponto de chamar o máximo de atenção para o produto em questão, uma vez que é a nossa vitrine e a primeira coisa que o possível comprador vai olhar quando entrar no seu site ou loja virtual.

Com cursos e estudos em fotografia, comecei a aprimorar as fotos dos meus produtos, desde a técnica até a montagem do “cenário”. O legal disso tudo é ver a evolução do processo, das fotografias e dos próprios produtos.  Muitas pessoas tem me perguntado como faço as fotos para os produtos Zaená. Por isso, vou falar um pouco sobre esse assunto aqui e espero que consiga ajudar.

EQUIPAMENTO E ESPECIFICAÇÕES:

Uso uma Nikon D7100, uma câmera muito boa na minha opinião, mas ainda está longe de ser perfeita para algumas ocasiões. Para fotografia de produto ela supre muito bem as minhas necessidades. Em relação à lente, tenho uma 35mm 1.8 que não abro mão! Adoro essa lente e acho ela muito versátil para várias ocasiões, além de ser pequena, clara e leve, rs!

CONFIGURAÇÕES E LUZ:
Apesar de a lente ter abertura 1.8, procuro deixar em 3.2 ou, no máximo 2.8 para que não fique muita área da foto em desfoque. Lembre-se que a ideia é mostrar o produto! Dificilmente deixo em 1.8, só em caso de mostrar um detalhe muito específico mesmo.

Prefiro sempre usar a luz natural e, aqui no meu apartamento onde fotografo, deixo sempre para fotografar na parte da tarde, quando o sol não está batendo direto na janela. Evito ao máximo usar o flash para fotografia de produto, sempre acho a luz natural infinitamente melhor. No máximo acendo a luz do ateliê para dar uma ajudinha. Se o dia estiver nublado, perfeito, uma vez que a luz está mais difusa. O ISO vai depender das circunstâncias do local onde você está. Quando está muito claro, consigo usar até o ISO 320. Geralmente uso no 640, porque aqui é meio escuro. Ah! Como fotógrafa, prefiro deixar a câmera no modo prioridade de abertura (o “A” na rodinha da câmera).

CENÁRIO E PROCESSO:
Não tenho nada muito específico para fotos aqui, por isso tento me virar com o que já tenho: uma mesa (que na verdade é uma porta) de madeira sem pintura nem verniz, o próprio produto, canetinhas coloridas e outras coisas para compor a fotografia. Gosto de combinar as cores das canetas e dos objetos do cenário com o produto fotografado, para valorizar ainda mais a fotografia. Caso esteja fotografando para a loja virtual, é importante fotografar com detalhes todos os ângulos do produto. Lembre-se que as pessoas não poderão tocar nele, então tente passar o máximo daquilo que você gostaria de ver em um site: texturas, cores fiéis e detalhes importantes. Outra coisa importante na fotografia de produtos é dar a noção de escala. Para isso eu uso a minha mão, simples assim. Deixo o cenário para trás e fotografo o produto na minha mão, para que quem veja consiga pelo menos ter uma noção do tamanho do produto (conforme-se com o fato de que muita gente simplesmente não lê a descrição dele, rs).

EDIÇÃO:
Uso o Lightroom que também é outra coisa que não abro mão! Acho o software super prático para editar, sincronizar e organizar as fotos em catálogos e coleções. Não gosto de fazer grandes edições, somente alguns ajustes de luz (gosto de fotos bem claras), eventuais ruídos e balanço de branco, caso precise (normalmente já ajusto o balanço de branco na câmera mesmo). Aí é só exportar e ser feliz! Não gosto de acrescentar a marca d’água, acho feio, desnecessário. Muita gente diz que é importante para não roubarem a foto (já passei por isso e foi extremamente desagradável), mas eu acho que as pessoas mal intencionada não se preocupam com a marca d’água. Roubam, editam sua marca d’água e usam sua foto mesmo assim. A solução que tenho usado é fotografar o meu cartão de visita no cenário, junto com o produto. Acho que fica mais leve e menos invasivo na imagem como um todo.

Além disso tudo, é importante que o possível comprador consiga entender o produto. Geralmente, para cadastrar um produto em uma loja virtual, o número de fotos é limitado, então tenha sempre em vista a ideia de fazer várias fotos em ângulos diferentes e mostrando possíveis detalhes. Parece uma dica meio boba, mas já aconteceu comigo de, por exemplo, eu não mostrar uma caixinha fechada, pelo simples fato de não ter absolutamente nada de diferente na tampa (o que importava mesmo estava dentro), e muita gente vir me perguntar como era a tampa dela. Então é melhor pensar nisso e mostrar todas as faces do produto, inclusive as mais sem graças.

CADERNO_LORENZO-3

Ainda não sou a expert em fotografia de produto, mas continuo estudando e me aprimorando no processo, errando e aprendendo muito! Espero que possa ter ajudado de alguma forma, e fico à disposição se puder esclarecer qualquer dúvida que possa ter! =)

Este post tem 2 comentários

  1. Marcela Monteiro

    Adorei, Isa! Parabéns e cada vez mais sucesso! :*

  2. Renata

    Olá Zaena! ótimo post. Adorei
    Beijos

Deixe uma resposta

COMPARTILHE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no email

Conteúdo do Artigo