Sempre fui apaixonada por papelaria, mas demorei para perceber isso como um potencial trabalho. Quando eu tinha 12 anos, minha mãe abriu uma papelaria física na minha cidade natal, uma cidadezinha pequena no interior de São Paulo. Desde então eu ajudava no atendimento da loja e na escolha de alguns produtos. Adorava ir com a minha mãe em eventos de papelaria, nos quais ela fazia compras e a gente ganhava muitos brindes!

Mas logo cresci, fui para a faculdade, trabalhei e demorei alguns anos para me reencontrar na papelaria. A vida é mesmo uma loucura e foi preciso que a minha mãe fechasse a papelaria para que começássemos a empreender.

Comecei a empreender em 2014, mas a coisa era um pouco diferente. Estava insatisfeita com a minha profissão, que é a arquitetura, e resolvi tentar fazer o que eu gostava. Na época, minha mãe tinha acabado de vender a papelaria e começamos um negócio juntas. Fazíamos de tudo um pouco, mas sempre usando o artesanal como base. Costura, pintura e encadernação era o que eu mais fazia. Foi o começo pelo amor à encadernação e à papelaria. Só depois de alguns anos empreendendo é que fui novamente fisgada pela papelaria. Foi lindo entender que eu poderia criar meus próprios produtos e mostrar para o mundo!

A Zaená como é hoje, trabalhando apenas com papelaria, começou entre 2016 e 2017. Foi uma época de bastante mudança e bastante desorganização na minha vida, mas foi o pontapé inicial para o que a Zaená é hoje. Precisei vivenciar a desorganização para estudar sobre planejamento, produtividade e organização. Desenvolvi meu primeiro modelo de planner para atender às minhas necessidades e vi que tinha mais gente no mesmo barco. Foi quando entendi que o meu propósito era realmente ajudar mais pessoas através da papelaria funcional.

Eu realmente acredito que a organização e o planejamento conseguem mudar vidas e trabalho todos os dias para que isso aconteça. Acho mágico poder dar tanto significado para algumas folhas de papel! Quando alguém diz que evoluiu com a ajuda dos meus produtos e conteúdo, vejo que estou no caminho certo!