06 jul

Nunca me considerei uma pessoa disciplinada. Sempre tive dificuldades imensas para conseguir manter uma rotina de estudos ou trabalho, me distraio com pouco e isso compromete muito a minha produtividade. Trabalhar sozinha e em casa foi, e ainda é, um tremendo desafio para mim (que talvez seja assunto para um outro post). Quando comecei o curso Decola!Lab, da Espaçonave, sabia que uma hora daria de cara com um desafio que já tinha ouvido falar: o #30ideias30dias. E confesso que fiquei ansiosa por esse momento, já pensando antes da hora qual seria o meu desafio para mim mesma.

O terceiro módulo do curso abrange a área do comportamento, mas mesmo antes disso, o Decola já te dá um chacoalhão e você começa a perceber hábitos saudáveis e outros nem tanto. Ainda não consegui explicar o porquê, mas esse curso mexe com o nosso interior e nos faz querer ser alguém melhor. Pelo menos foi assim comigo.

Pois bem, foi chegada a hora do desafio, que até grupo no Facebook tem! Dia 01 de junho, 30 dias, terminando junto com o mês e o semestre. Perfeito! Resolvi começar no dia proposto e encarar um mês de junho diferente (juro que ainda não sei de onde tá brotando esse meu lado certinho e regrado). Resolvi, depois de muito pensar, que faria uma estampa por dia, durante um mês, para exercitar o meu lado recém formado de designer têxtil. “Nossa, mas uma estampa por dia é muita coisa, vai tomar muito tempo”. E foi. Comecei desconfiada de mim mesma: “não vou dar conta”. Ah! Uma das regras do desafio é ter um fator limitante para cercar a criatividade e fazê-la dar um jeito de escapar dessa cerca. As minhas limitações eram: o tema de todas as estampas teria que ser o mesmo (cidade), os desenhos deveriam ser simples, como esboços mesmo, para não gastar tanto tempo e eu deveria usar apenas uma caneta preta e inserir duas cores na edição (essa regra eu acabei pulando em alguns dias).

O saldo disso tudo foi:
– Um portfolio com 30 estampas (ainda em fase de estudo, confesso, mas que serão aperfeiçoadas para uso aqui nos novos produtos Zaená);
– Quase 30 dias desenhando (em alguns dias eu aproveitava desenhos que já tinha feito para outros dias);
– 29 noites de trabalho (tá, pulei um dia, mas estava viajando e compensei com duas estampas no dia seguinte);
– Uma disciplina que eu desconhecia até então;
– Um comprometimento meu comigo mesma.

Em alguns dias eu nem via o tempo passar e queria fazer uma estampa perfeitinha. Em outros, queria fazer algo rápido usando desenhos que já tinha feito, só para tirar da frente mesmo. Acostumei a pensar diariamente em como fazer diferente uma estampa com o mesmo tema e a mesma limitação de cores e, no final, achei que os resultados ficaram bem diferentes um do outro. O que eu aprendi com isso é que é possível se regrar para fazer praticamente qualquer coisa, principalmente se for algo que você gosta. Outra coisa com a qual eu sempre fiquei insegura, mas percebi com essa história toda: a criatividade realmente é algo que não acaba simplesmente e, quanto mais se usa, mais se tem!

Além disso, com o fim do desafio, dá vontade de começar um novo, ou tentar coisas diferentes e se condicionar a fazer aquilo sempre. Sabe quando você termina um curso ou um compromisso semanal chega ao fim e vem aquela sensação de que agora você vai ter tempo para fazer mais coisas legais? Foi bem isso que senti, e percebo agora que devo usar esse tempo que gastava com o desafio para fazer coisas que me façam bem e me deem prazer. Seja uma caminhada, um hobbie, ler um livro, assistir a um documentário. As caminhadas eu já comecei… e você? Que tal começar hoje mesmo a fazer todo dia alguma coisa que você gosta?

Me conta nos comentários se já passou por algo parecido!

Ps.: vem ver todas as estampas criadas aqui no Instagram: #estampariazaena!

Deixe um comentário